quinta-feira, 10 de março de 2016

Benfica é paixão

Zenit 1-2 Benfica
(1-3 no agregado)

Equipa inicial: Ederson, Semedo, Lindelof, Samaris, Eliseu, Fejsa, Sanchez, Gaitán(1), Pizzi, Jonas, Mitroglou 
Entraram: Salvio, Jiménez e Talisca(1)

Nem sei por onde começar a descrever o que me vai na alma, após ter visto o meu Benfica
carimbar a passagem aos quartos de final da Champions, após nova vitória frente ao Zenit, desta vez em solo russo!


Bem, talvez o melhor seja mesmo começar a falar da equipa que entrou em campo.
Este Benfica é cada vez mais um oceano de soluções e Rui Vitória é um 'problem solver', como dizem os ingleses.
Entra jogador, sai jogador e a dinâmica é a mesma e as coisas parecem funcionar.
Ontem, o nosso guarda redes estreou-se na competição e a dupla de centrais que atuou foi completamente nova. Estamos desfalcados dos 3 centrais, que em teoria, são os mais fortes. Mas nem se nota! Lindelof mostra muita maturidade e Samaris foi enorme na sua adaptação a uma posição que não é a dele.
Jogamos com muitos jovens que dão os primeiros passos nestas grandes provas, mas a maturidade e sensatez que se vê em campo, é a de uma equipa bem mais experiente. Muito bom.
Samaris foi um destaque para mim, mas Fejsa também não pode escapar aos elogios.
Em boas condições físicas, é um monstro naquele meio campo! Nada passa e cada vez que recupera a bola, lança rapidamente o contra-ataque.
Já que estamos numa de destacar, é importante referir o peso e a preponderância que as substituições tiveram no jogo. Jiménez saltou do banco para fazer o que toda a gente viu. O golo do empate é dele, não importa quem tenha sido a última pessoa a tocar na bola antes dela cruzar a linha de golo.
Talisca foi a cereja no topo do bolo. Numa das primeiras vezes que tocou na bola, pimbas!
Renato, como sempre, deu muito músculo ao meio-campo.

Sobre o jogo...


Boa primeira parte. O Benfica, sem querer expor-se em demasia, sabia que fazendo um golo, podia arrumar com a eliminatória. Fomos sólidos e registámos boas saídas para o contra-ataque. Apartir dos 35min, começámos a sofrer mais a pressão dos da casa, como de resto já seria de esperar.

Na 2a parte penso que baixamos as linhas um pouco em demasia.
Deixámos o Zenit trocar a bola em zonas já muito avançadas, o que pode ser perigoso.

O golo dos russos surge de um lance em que o Semedo sofre uma carga ilegal, é importante referir.
Nos 5, 10min após sofrermos o golo, estivemos perto de encaixar o segundo.
Mas a equipa não tremeu. Embora eu estivesse extremamente nervoso, os jogadores foram serenos e pacientes, a aguardar uma oportunidade para carimbar a passagem.
Essa oportunidade veio aos 85min e saiu dos pés de Jiménez e da cabeça do Gaitán. Naquela altura o 1-1 tinha deitado por terra as esperanças dos russos. Eles sentiram isso e foi sem surpresa que levaram o segundo.

O Benfica está no lote das 8 melhores equipas da Europa e o resto é conversa! 

Quem levou uma grande chapada foi aquele palerma que disse e passo a citar - " no Benfica devem ter chorado quando descobriram que iam jogar contra nós ". Já o Pirlo tinha engolido um enorme sapo uma vez.

É inevitável falar nas equipas mais apetecíveis e nas equipas a evitar nos quartos.
Não existem equipas fáceis nesta fase. Fala-se no Wolfsburgo. Penso que não estão bem a ver as dificuldades que essa equipa acarreta. As equipas portuguesas têm sempre dificuldades frente a equipas alemãs. São equipas muito possantes, que correm muito.
Por outro lado, o Benfica costuma bater-se bem frente aos ingleses, pelo que acho que um Manchester City vinha mesmo a calhar!

Não é que eu tenha aspirações a vencer a prova, nada disso. Quanto mais longe pudermos ir melhor. Há mais prestígio e mais dinheiro. E no futebol nunca se sabe!

Já  atemos um recorde a nível de encaixe financeiro (esta campanha já nos rendeu cerca de 28,5M €!). E ainda garantimos a presença de 3 equipas portuguesas na fase de grupos desta competição em 2017/2018. O trinca bolotas irá agradecer mais tarde.

De enaltecer o trabalho do nosso técnico! Não há cá competições de primeira e competições de segunda. Honrar a Liga dos Campeões é honrar aqueles que nos honraram no passado! Este lema parecia estar a cair em desuso, mas o nosso mister fez questão de o voltar a trazer à tona.

Carrega Benfica! Um simples amo-te é pouco para descrever tudo aquilo que me fazes sentir!

terça-feira, 8 de março de 2016

Sobre o dérbi


Falar do dérbi é falar sobre hipocrisia, necessariamente. 
Mas já lá vamos. Por agora, vamos ao jogo...

Eu já tinha dito antes do jogo: para o Benfica, um empate era um resultado interessante, ao contrário do Sporting a quem só a vitória interessava. Porquê? Basta ver o calendário que resta aos nossos vizinhos comparativamente com o nosso.

O Benfica sabia bem disto, daí a estratégia utilizada. 
Entrámos bem. A primeira parte fica marcada pela grande luta a meio campo. Até aos 35min estivemos por cima, claramente.

Na segunda parte voltámos a entrar melhor, com saídas criteriosas para o ataque, mas a partir dos 55min a palavra de ordem passou a ser CONTENÇÃO. 
Nada de mal aí... o Sporting Lisbon é que precisava de correr atrás do prejuízo. 
Fala se em avalanche ofensiva por parte dos lagartos. Devem ter visto outro jogo que não o que eu vi. Eu só me lembro de 4 oportunidades de golo por parte dos da casa. O Benfica já criou mais em certos jogos e também não saiu vitorioso (tome se como exemplo o jogo frente ao Porto, em que criámos o triplo do que esses tristes criaram no sábado ).

Equipa pequena? Futebol é estratégia. Se futebol fosse só mandar atacar à maluca, um simples miúdo de 10 anos podia desempenhar o cargo de treinador.
Ser grande não é atacar mal e porcamente a torto e a direito. Ser grande é saber que há momentos para atacar e momentos em que há que ter a humildade de reconhecer que há que defender!
JJ parecia saber isso até ao ano passado. Não se lembram da vitória de 2-0 no dragão no ano passado?
A certo ponto, alguém teve a decência de se lembrar de perguntar a esse parvinho o seguinte: "Apelida o Benfica de jogar à equipa pequena, mas não será justo comparar este Benfica com o seu Benfica que no ano passado veio aqui jogar para o empate?" - ao qual o porco respondeu - " Isso é passado, fale me do presente". É preciso dizer mais alguma coisa? É a isto que me refiro quando falo em hipocrisia. 
O JJ sabe melhor que ninguém como tapar os olhos aos ceguetas dos seus adeptos, mas aos outros que vêm com descerenimento está a chamá los de burros, só pode.

O futebol é eficácia. Quem ganha os jogos é quem marca mais, tão simples quanto isso. De que vale atacar inconsequentemente, se não serve de nada? Não se lembram do jogo frente ao Arouca, por exemplo?

A vitória de sábado foi uma vitória estrondosa por parte do nosso técnico. 
Derrotou os fala baratos, que pensavam que eram favas contadas. O zbording promete, promete, mas chega ao momento decisivo e falha. É isso que separa os quase vencedores dos verdadeiros vencedores. Isto não quer dizer que algo esteja ganho, longe disso!

Faltam 9 finais como disse, e bem, o nosso mister.

Fica uma certeza: prefiro jogar mal e vencer, do que jogar bem e perder!
Vitórias morais são muito giras mas não dão pontos.