terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Balanço positivo com expectativas moderadas

Benfica 10 Zenit

Equipa inicial: Júlio César, Almeida, Jardel, Lindelof, Eliseu, Samaris, Sanchez, Gaitán, Pizzi, Jonas(1), Mitroglou
Entraram: Jiménez e Carcela

Resultado positivo, que não deixa margem para erros.
O Zenit veio cá jogar para o 0-0, para levar a decisão da eliminatória para o seu reduto.
Nestes jogos, manter a baliza a zeros só por si já é bastante positivo, pois como se sabe, muitas vezes estas eliminatórias são resolvidas pelos golos marcados fora.


Estou convencido que se o 1-0 tem surgido mais cedo, os russos teriam arriscado mais um pouco, sofrendo mais 1 ou 2 golos. Tal não aconteceu, mais uma vez por falta de pontaria.

Jogar na Rússia é difícil. Não que o Zenit seja um colosso em casa, mas sim porque vamos jogar num terreno impróprio à prática da modalidade. A juntar às temperaturas negativas, temos um relvado que é uma lástima. Tendo a Rússia tanto dinheiro, para quando estádios cobertos naquele país?

Mas penso que se conseguirmos marcar fora, temos a eliminatória na mão. 1 golo lá, obrigado o Zenit a fazer 3!

As ausências de Almeida e Jardel vão ser um problema. Dia 9 de Março já espero ter o Semedo mais rotinado, mas Jardel, esse ninguém pode substituir (sem ser Luisão, que também não joga). Lisandro é bom, mas Jardel faz muita falta por ser uma voz de comando lá dentro. A dupla Lisandro-Lindelof (nunca utilizada) é uma dupla muito jovem...

Por outro lado, o Zenit também não tem a vida facilitada neste departamento, visto que Javi Garcia e Criscito ( 2 jogadores importantes) também falham a 2ª mão.

Relativamente ao jogo...

Na primeira parte viram-se 2 equipas mais preocupadas em anular os pontos fortes uma da outra, do que propriamente preocupadas em criar desequilíbrios.

O Zenit apresentou-se sempre com um bloco baixo e o Benfica também não quis arriscar muito nas rápidas transições ofensivas, como o fez diante do Porto. Mesmo assim houveram oportunidades a registar.

Intervalo, e o jogo empatado a zero.

A segunda parte revelou um Benfica mais afoito no ataque. O excesso de respeito pelo adversário evaporou-se e a equipa produziu mais. Fomos coleccionando ocasiões. A certo ponto, virei-me para o meu pai, que se mostrava visivelmente irritado com a falta de acerto lá à frente e exclamei: 'Isto já parece o jogo de sexta-feira!'

O cansaço dos russos em contraste com o nosso entusiasmo transmitido efusivamente das bancadas para o campo, fez com que o Zenit fosse sendo cada vez mais encostado às cordas.
Chega aquele ponto em que pensamos: 'Não aconteceu até agora, não acontece mais'.
O problema é que Jonas está na equação e com ele nunca se sabe! Golo aos 91' após livre de Gaitán.
Já agora, alguém reparou no trabalho do Jardel? Sem ele não havia golo nenhum! Ele sozinho 'arruma' 3 jogadores do Zenit, resultando daí um enorme espaço para o Pistolas fazer o que sabe melhor! Parece que afinal Jonas não marca só aos 'pequeninos'...

A eliminatória está em aberto e eu acredito!

Uma palavra para os adeptos, em especial para as claques, que parece que hoje não houve 'atritos'. Um jogo (ou mais) à porta fechada não tem piada nenhuma pessoal! Vamos lá apoiar o Glorioso sem o prejudicar pelo meio!

Carrega Benfica!


Nenhum comentário:

Postar um comentário