segunda-feira, 28 de setembro de 2015

O problema do meio campo

Paira ainda uma certa indefinição no nosso meio-campo. Desde a saída de Enzo que o clube tem andado a experimentar soluções. Certo é que nenhuma das soluções para já apresentadas deu garantias a 100%.

Vamos ver o que temos:

Cristante.
Para mim a solução ideal para a posição 8. É declarado como um dos maiores talentos do futebol italiano da actualidade. Há quem o apelide de novo Pirlo. Tem todas as condições para singrar neste Benfica. É bom no passe e tem bom comportamento posicional. O ano passado foi insistentemente utilizado a 6, mas acho que poderia render muito mais, jogando um pouco mais à frente, com mais liberdade. Para mim é uma opção a ter em conta. Precisa de oportunidades!





Pizzi. O ano passado revelou-se uma aposta ganha. Esta época nem por isso. Ainda precisa de ser muito trabalhado para desempenhar a posição de box-to-box. Defensivamente deixa muito a desejar. Ofensivamente apresenta qualidade. É uma opção para jogar num sistema com 3 médios. Ou seja, passa a estar melhor acompanhado, podendo eventualmente jogar mais à frente no terreno, deixando as responsabilidades defensivas para os seus 2 colegas mais recuados.



Não me canso de falar neste jogador. Não se enganem, o miúdo tem futebol nos pés. Não se encaixa no 4x4x2, pelas mesmas razões de Pizzi praticamente. É um jogador feito para pisar terrenos mais avançados, o tal 9,5. Vejo-o a jogar num esquema táctico de 3 médios, com 2 mais recuados e ele mais à frente com mais liberdade criativa. Acho que podíamos tirar significativos dividendos desta aposta sinceramente. 






João Teixeira. Não percebo como é que um jogador que faz uma pré-época como a que ele fez à 1 ano, é encostado e nunca mais calça. Com tudo o que mostrou, estou convencido que pode ser o box-to-box que o Benfica procura. Para mim é um dos jogadores mais qualificados para desempenhar a posição 8 neste momento. Precisa de oportunidades para mostrar o que vale.
Com a recente aposta nos jovens, não sei como é que este homem ainda não foi chamado a jogo.



Amado por uns, mal amado por outros, Talisca é um jogador um pouco mais polivalente. Pode desenrascar a jogar ao lado de Samaris nos jogos da liga, mas para outro tipo de jogos é insuficiente. À semelhança de outros jogadores que já falei anteriormente, Talisca foi feito para pisar terrenos mais avançados. Não é um box-to-box (até pela sua fisionomia), mas sim um médio ofensivo/segundo avançado. Foi nessa posição que teve sucesso na época passada (antes da chegada de Jonas e saída de Enzo). Quando o puseram a pisar terrenos mais recuados, toda a categoria que havia mostrado anteriormente se desvaneceu.



Taarabt, nas suas perfeitas condições físicas é um jogador que pode ser útil. Pelo que já demonstrou em clubes anteriores, é um jogador com boa técnica e capacidade de desequilíbrio. É mais um a juntar à lista de médios ofensivos que temos neste momento. Como ainda não calçou, não sei como é que se vai encaixar neste Benfica. Assim que estiver bem, era de se experimentar e ver o que dá. 



André Almeida. Opção a ter em conta em jogos em que é necessária outra consistência defensiva. A dupla de pivôs que formou com Samaris revelou-se muito forte do ponto de vista defensivo. Utilizando 2 médios recuados, em vez de jogar com 2 avançados, jogaria apenas com um, pondo em campo um 3º médio. Um médio mais ofensivo destes que vimos acima, para dar a criatividade que vai faltar inevitavelmente à equipa. É uma boa opção para quarta. Acredito que RV tem experimentado esta dupla por algum motivo. Com André e Samaris mais atrás e Talisca (por exemplo) mais à frente, ficaríamos com um meio-campo fortíssimo!






Fejsa... O mesmo que André Almeida basicamente...










Samaris. Neste momento, o homem indiscutível do meio-campo. Está a jogar muito. Escolham um jogador qualquer da lista acima.. desde que seja para fazer dupla com o grego.

Nenhum comentário:

Postar um comentário